Os esports e o meio acadêmico 24/02/2021 11h37 | BY Equipe Fallen

508

Os esportes eletrônicos estão cada vez mais inseridos nas instituições de ensino ao redor do mundo. Além de serem mais inclusivos do que os esportes tradicionais, os games ajudam nas habilidades de comunicação, colaboração e espírito esportivo.

Segundo informações do portal Edutopia, a High School Esports League possui mais de 2.100 escolas parceiras e mais de 60.000 alunos participantes em ligas de jogos como Minecraft e Rocket League, nos EUA e Canadá. O objetivo dessas instituições é usar os esportes eletrônicos como um veículo para a ciência, empreendedorismo, formação de equipes, educação em tecnologia e carreira futura.

Nessa tendência, muitas faculdades nos Estados Unidos têm equipes de esports e, em 2019, quase 200 universidades ofereceram um total de US$15 milhões, mais de R$80 milhões em conversão direta, em bolsas de estudo para esportes eletrônicos.

No Brasil, o TUES (Torneio Universitário de Esports) é o maior campeonato universitário de esportes eletrônicos do país. A competição conta com várias modalidades de jogos, como: CS:GO, LoL, Clash Royale, entre outros.

Também, as ligas universitárias regionais crescem a cada ano. A FIAP (Faculdade de Informática e Administração Paulista), com o apoio da Fallen, realizou em 2018 a primeira liga de CS:GO da universidade, com a participação de 30 times e um total de 180 alunos inscritos.

Aviso Sobre Cookies:

Esse site utiliza cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.